• Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Blogger Social Icon

© 2017 por Multicentro Saúde. 

10 diferenças entre Depressão e Transtorno Bipolar

 

 

Os transtornos de humor são um conjunto de sintomas de humor que variam em forma de ciclos, cheios de altos e baixos. Estes transtornos englobam um grande grupo de patologias em que há oscilações de humor de forma duradoura e perturbações da ordem e prejuízos no rendimento escolar ou no trabalho dominam o quadro clínico. Podemos citar como os transtornos de humor mais comuns: a Depressão maior, o Transtorno Bipolar, a Ciclotimia, a Distimia e o Transtorno esquizoafetivo.

A depressão é um transtorno comum, atinge 15% das pessoas ao longo da vida e é mais comum nas mulheres, atinge 1 a cada 4 mulheres ao longo da vida. A depressão maior acomete 2v  ezes mais mulheres do que homens por prováveis questões hormonais. O transtorno bipolar é menos comum do que a depressão maior, atinge 1 a cada 100 pessoas ao longo da vida.

A Ciclotimia consiste em alterações muito rápidas de humor, com curtos períodos de depressão alternados com breves momentos de mania ou hipomania. Pode ser descrita como uma pessoa que está em curto-circuito ou com dupla personalidade.

A Distimia, por sua vez, é uma depressão mais leve  e de longa data, bastante sutil e que passa desapercebida muitas vezes pelas pessoas em geral. A pessoa distímica pode ser conhecida como uma pessoa rabugenta ou disfórica.

O Transtorno Esquizoafetivo se trata de um transtorno complexo, engloba uma mistura de um ou mais períodos de sintomas psicóticos alternados com outros períodos de alterações de humor. 

O campo da Psiquiatria considera a depressão maior e o transtorno bipolar como transtornos separados, particularmente nos últimos 20anos. Contudo, a possibilidade de que o transtorno bipolar seja uma forma mais grave de depressão maior tem sido considerada ultimamente.

Quando se fala em transtornos de humor há uma perda marcante de controle e uma experiência pessoal de grande sofrimento, há gastos financeiros e alteração da função sexual, com perda da libido ou até com hipersexualidade, ou seja, com aumento exagerada da libido.

 

1-Há diferenças com relação aos relacionamentos entre pessoas com

depressão ou com transtorno bipolar?

 

A depressão maior ocorre com mais frequência em pessoas sem relacionamentos interpessoais íntimos ou que são divorciadas ou separadas. Pessoas depressivas tendem ao isolamento social, tendem a ficar sozinhas em quartos escuros.

O transtorno bipolar é mais comum em pessoas divorciadas e solteiras do que em pessoas casadas. Isto pode resultar do comportamento explosivo e briguento das pessoas com transtorno bipolar em comparação com pessoas da população geral.

 

2-Há diferenças quanto a idade de inicio do transtorno entre pessoas com depressão e bipolares?

 

De maneira geral, o transtorno bipolar acontece mais cedo do que a depressão maior.

O transtorno bipolar tem seu inicio na infância, desde os 5 a 6anos(em casos graves) até os 50anos, com uma média de se iniciar aos 30anos. Inicio precoce da depressão é um fator de risco para a bipolaridade.

A depressão tende a acontecer em metade das pessoas entre os 20 e 50anos, com média de idade de se iniciar aos 40anos.

 

3-Diversas apresentações clínicas

 

A depressão maior cursa com alteração do humor para baixo, a pessoa deprimida se sente desanimada, desmotivada, sem vontade de viver, chorosa, as vezes até com vontade de se matar.

O transtorno bipolar ocorre com oscilações de humor para cima ou para baixo. Pode haver episódios de humor para cima, mania ou hipomania, com exaltação do humor e alegria exagerada e fora de contexto por alguns dias ou algumas semanas. 

Falar em mania é ver uma pessoa vivendo um carnaval fora de época, fora de si, com uma alegria contagiante, supersexualizada, gastando muito dinheiro `a toa, totalmente fora de prumo e de contexto. Por exemplo, o bipolar é uma pessoa extremamente feliz e empolgada em um velório ou na derrota do seu time do coração, as vezes é chamada pelos familiares mais próximos como o bobo da corte. 

A hipomania seria uma alegria mais branda, mais leve, as vezes passa até desapercebida no meio de outras pessoas, em geral soa como inadequada nos meios sociais e isto pode causar demissões ou outros prejuízos financeiros ou sociais.

A pessoa com Transtorno Bipolar também pode ter momentos de depressão, tristeza e choro marcantes. Existem bipolares que só vivem uma depressão de longa data e sem resposta a antidepressivos. Uma das características mais marcantes do transtorno é a irritabilidade e impulsividade, mesmo em quadros de depressão, associada a alterações constantes do humor. O Bipolar tende a ficar mais irritado quando passa a tomar antidepressivos de forma regular e constante.

 

4-Diferentes causas 

 

O papel da genética está mais bem definido para o transtorno bipolar do que para a depressão maior.

O transtorno bipolar tem causas genéticas bem definidas, mas não se sabe ainda qual o gene causador da doença. Se um dos pais tem transtorno bipolar, a chance é de um em cada 4 filhos ter o mesmo transtorno. Se pai e mãe tem este transtorno, a chance do filho a ser gerado ter bipolaridade é altíssima(50 até 75%). Cerca de metade dos pacientes bipolares apresentam pelo menos um parente com transtorno de humor.

A chance de uma pessoa ter um transtorno de humor fica cada vez menor à medida que o parentesco se afasta. Por exemplo, irmãos ou filhos de pessoas bipolares tem maior chance de ter este distúrbio do que netos de pessoas bipolares.

 

5-Fatores psicossociais

 

Pessoas abrigadas, abusadas, abandonadas por familiares ou moradores de rua tem alta chance de ter depressão maior.

Há uma duradoura observação clínica de que acontecimentos estressantes vem antes de um episódio de humor na maioria dos casos de pacientes com depressão ou mesmo com transtorno bipolar. Pessoas estressadas tem grande chance de desenvolver transtornos de humor, especialmente quando este estresse acontece precocemente, em idade precoce.

As pessoas com certos transtornos de personalidade (Borderline, Histriônicas ou Obsessiva-compulsivas) tem maior chance de desenvolver depressão do que pessoas da população em geral ou mesmo anti-sociais ou paranóides.

 

6-Como estabelecer diferenças entre um paciente com depressão e outro com Transtorno bipolar na hora do diagnóstico?

 

O diagnóstico preciso deve sempre ser feito por profissional habilitado, geralmente psiquiatra com experiência clínica em transtornos de humor. A diferença principal está em se estabelecer episódios de mania ou hipomania para se caracterizar um Transtorno bipolar. O paciente com depressão maior não tem fases de euforia ou agitação extrema.

O paciente bipolar tende a ter uma depressão atípica, com sintomas como irritabilidade ou irritação fora de contexto, sonolência exagerada ao longo do dia e sensação de peso nas pernas ou paralisia de chumbo. 

A insônia é um sintoma comum em ambos os transtornos, mas no transtorno bipolar a insônia tende a ser crônica e refrataria a muitos medicamentos. No caso do paciente depressivo a insônia tende a melhorar com a cura da depressão, enquanto no paciente com Transtorno Bipolar tende a se cronificar.

 

7-Diferentes respostas ao uso de antidepressivos

 

Outra diferença é a resposta ao uso de antidepressivos: o paciente com Transtorno Bipolar responde bem apenas a combinação estabilizador de humor (Lítio ou Divalproato) + antidepressivo, enquanto o paciente com depressão responde muito bem ao tratamento antidepressivo. O paciente bipolar pode ficar acelerado, agitado, ansioso ou irritado com o uso de antidepressivos, sem a associação de estabilizadores de humor. Há uma preferência dos psiquiatras a usar antidepressivos(por exemplo, a Bupropiona) com menor risco de virada para a fase de hipomania ou mania, em pacientes bipolares ou com suspeita de bipolaridade.

 

8-Produções artísticas

 

As pessoas bipolares tendem a se destacar nas artes plásticas e artes cênicas, tendem a usar cores extravagantes e brilhantes como reflexo de períodos de mania, outrora cores tristes e tons de cinza nas fases depressivas. Vincent Van Gogh é um bom exemplo disso que estou falando, vale lembrar que o pintor famoso cortou a orelha em uma de suas crises.

Temos exemplos de outras pessoas famosas que expressaram as suas doenças de humor através da arte, como inúmeros atores, atrizes, cantores e cantoras.

 

9-Personalidades famosas depressivas e bipolares

 

As pessoas com transtornos de humor tendem a ser bastante criativas, algumas bem inteligentes e outras até polêmicas. Há uma quantidade enorme de pessoas famosas brasileiras que tiveram ou ainda tem este distúrbio, entre as quais podemos destacar: Elis Regina, Cazuza, Rita Lee, Renato Russo, Maurício Mattar, Cássia Kis Magro, Cássia Eller. Infelizmente alguns destes se suicidaram.

Entre as personalidades famosas estrangeiras que apresentaram Transtornos de humor destacam-se: Madonna, Robin Williams, Kurt Cobain, Marilyn Monroe, Heath Ledger, Ashley Judd, Mel Gibson, entre outros. Alguns casos de depressão se destacaram no meio artístico internacional, entre os quais podemos citar: Catherine Zeta-Jones, Jim Carrey, Princesa Diana, Demi Lovato, Winona Ryder, Miley Cyrus, Gwyneth Paltrow, Robbie Williams, entre tantos outros. Vale destacar que alguns destes famosos infelizmente tiveram automutilação ou cometeram suicídio em consequência de quadros depressivos graves não curados.

 

10-Manejo e tratamento especializado em ambos os casos

 

O manejo adequado de sintomas depressivos e bipolaridade é fundamental para todos os casos de transtorno de humor e pode evitar muitas internações e desfechos desfavoráveis, como suicídio, prisões e outros problemas sociais ou com a justiça.

Pessoas com depressão grave e risco suicida devem ser avaliadas por um psiquiatra experiente para avaliação do risco de suicídio daquele momento e ver a necessidade de internação hospitalar. A internação deve ser baseada na gravidade do quadro clínico e de saúde mental, além de se avaliar a possibilidade de observação e internação domiciliares como opções em alguns casos. O uso de antidepressivos é fundamental para a cura da depressão maior, por isso o acompanhamento psiquiátrico se torna preponderante na maioria dos casos de depressão, especialmente os mais graves.

A abordagem psicológica é fundamental em todos os casos de transtornos de humor, deve ser feita para pacientes internados ou em regime ambulatorial. Você pode acreditar que as neuropsicólogas do Multicentro Saúde são superpreparadas para lidar com os pacientes depressivos e os bipolares.

Pessoas com depressão leve a moderada devem fazer tratamento ambulatorial com acompanhamento psiquiátrico e psicológico regular. O  Trabalho em equipe ajuda muito o tratamento a andar mais rápido e de forma mais eficiente.

 

Em relação à bipolaridade a maior parte dos pacientes precisam de tratamento ambulatorial, o uso de medicamentos estabilizadores de humor, como Lítio e Depakote, são muito importantes. O uso de antidepressivos é obrigatório em casos graves e opcional em casos mais leves.

 

Nós, profissionais do Multicentro Saúde estamos aptos a te atender da melhor forma e te ajudar a superar este quadro de humor. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

É possível controlar a ansiedade ao comer?

April 29, 2018

1/10
Please reload

Posts Recentes

February 25, 2019

February 13, 2019

January 29, 2019

January 28, 2019

January 23, 2019

Please reload

Arquivo