• Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Blogger Social Icon

© 2017 por Multicentro Saúde. 

Me assumir gay foi como renascer

June 20, 2017

Relato de Pedro Sotero, 30 anos, gay.

 

 

 

 

Até então eu vivia em modo de sobrevivência com o instinto de apenas ter que me manter vivo. Eu era frio, curvado e tinha vontade de sumir. Eu vivia com medo de ser atacado.

Criei uma engenhoca na minha cabeça com o objetivo de encarar o mundo, entrar para o sistema e ser aceito, antes de me aceitar, para ser bem sucedido. Vivi, venci mas eu sempre senti que precisava de mais. Foi quando eu escolhi viver plenamente para preencher o pior vazio de todos: não ser eu mesmo. 

 

O processo de me aceitar como Gay foi libertador

 

Me aceitar gay foi como renascer. Olhar para trás foi realmente motivo de orgulho de estar vivo. Reconhecer as minhas batalhas diárias me abriu os olhos para perceber que eu tenho sim uma história linda de vida. Foi libertador perceber que eu não preciso sentir agonia, medo ou angústia por gostar de gostar de homens.

 

Ter o apoio da família faz toda a diferença

 

Eu tenho o privilégio de nascer numa família de pais educadores e de ter uma mãe que soube ser delicada e amorosa ao me questionar a respeito da minha sexualidade. Tivemos uma conversa franca, tensa mas sem rancor ou violência. 

Na minha cabeça, eu só comunicaria a minha sexualidade para minha família quando eu tivesse um príncipe encantado para apresentar. Afinal, eu queria alguém ao meu lado para me ajudar nesse momento da vida. Nada saiu como o planejado mas foi do jeito que tinha que ser. Outros familiares souberam de uma forma mais natural como eu gostaria que fosse. Até então só alguns amigos sabiam e ninguém me virou a cara. Pelo contrário, fiz até mais amigos. Fui encontrando a minha galera e descobri que existe um mundo muito legal para se viver.    

 

Me aceitar mudou minha forma de enxergar o mundo

 

Infelizmente também descobri outras extremidades mais pesadas nas histórias de vida de outros gays que estão perto ou longe de mim. Apesar de reconhecer que precisamos de mais educação, aceitação e respeito na sociedade, o orgulho de me amar do jeito que eu sou facilitou muito a forma como eu vivo e enxergo o mundo. 

 

Me aceitar abriu os caminhos para o amor chegar de várias formas a mim. E é nisso que eu confio e acredito para viver melhor, mais forte e mais feliz dia após dia.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

É possível controlar a ansiedade ao comer?

April 29, 2018

1/10
Please reload

Posts Recentes

February 25, 2019

February 13, 2019

January 29, 2019

January 28, 2019

January 23, 2019

Please reload

Arquivo